HOME Estética Dental Bruxismo pode piorar na pandemia
07 de maio de 2021

Bruxismo pode piorar na pandemia

uma mulher negra, de cabelos cacheados e camiseta branca, está com um semblante de dor. Ela está posicionada de lado, voltada para a esquerda, e é possível ver da parte superior do seu tórax até a ponta do nariz. Sua mão esquerda pressiona a bochecha do mesmo lado e seus dentes estão apertados em mordia.

Como todos nós sabemos, a pandemia da Covid-19 ocasionou uma série de mudanças em nossas vidas, aumentando as preocupações. Em meio a tantas incertezas, o isolamento social e a insegurança financeira, é esperado o surgimento de alguns problemas de saúde na população como um todo, e nos seus pacientes em consultório.

Entre estes problemas estão inclusos o estresse e a ansiedade, que podem, sim, exercer influência em questões odontológicas. Essa combinação de fatores ocasiona o surgimento do bruxismo, ou piora o quadro de quem já sofre com essa disfunção. Neste artigo te contamos tudo sobre o tema!

Causas e sintomas do bruxismo

Segundo pesquisa publicada pelo Dental Cremer, a pandemia do Coronavírus registrou aumento nos relatos de pacientes em relação ao bruxismo e ao apertamento dental, com essas observações sendo clinicamente comprovadas. Entre os fatores que ocasionaram esse crescimento estão, justamente, a ansiedade e o estresse proporcionados pela crise sanitária registrada no mundo todo.

Além de ansiedade e estresse, fatores genéticos, tensão e o desalinhamento dentário associado à má oclusão também são possíveis causas do bruxismo. Entre os sintomas clássicos, que podem te ajudar no diagnóstico, estão: dor de cabeça e sensação de pressão na testa ou na nuca; dores e estalos na região da mandíbula; zumbidos ou dores nos ouvidos, ou ainda sensação de ouvido tapado, podendo haver diminuição da audição; tonturas, vertigens, enjoos ou vômitos. Você já notou essa mudança nos pacientes de sua clínica?

Afinal, o que é o bruxismo?

O bruxismo é uma desordem funcional que se caracteriza pelo ato de ranger ou apertar os dentes constantemente, em especial durante o sono, aumentando a sensibilidade e a dor nos músculos da face. Ele pode acometer pessoas de qualquer faixa etária e é dividido em dois tipos: bruxismo cêntrico (quando a pessoa costuma apertar os dentes) e bruxismo excêntrico (quando o movimento da mandíbula provoca o ranger dos dentes).

O bruxismo é uma disfunção bastante comum, que atinge cerca de 30% da população mundial e 40% dos brasileiros, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ou seja, existe uma demanda significativa por parte dos pacientes. Por isso é importante que você, cirurgião-dentista, esteja preparado e qualificado para realizar o diagnóstico correto.

Como tratar o bruxismo?

O tratamento do bruxismo deve ser feito por meio de uma abordagem multidisciplinar, uma vez que não é o suficiente tratar apenas a questão dentária quando a saúde física e mental não estiver em dia, pois ela influencia diretamente no comportamento da disfunção. Inclusive, o mais recomendado (na verdade, tratamentos conservadores não são sempre os mais recomendados, mas sim, seria ideal o diagnóstico precoce do bruxismo para aí sim, conseguir proporcionar um tto conservador) são tratamentos conservadores, pouco invasivos e mais seguros, com o paciente sendo acompanhado por uma equipe envolvendo profissionais de diferentes áreas, tendo como objetivo a restituição da qualidade de vida.

Para evitar a piora na disfunção, o paciente pode ficar mais atento e tomar cuidado para não apertar os dentes. Também existe a possibilidade de uso de placas miorrelaxantes, tanto para o período diurno quanto noturno; e o tratamento com a toxina botulínica, que é uma aliada para diminuir a movimentação e força excessiva da musculatura. Mas nada substitui ajuda especializada.

Faça uma Especialização!

O Instituto Odontológico das Américas (Rede IOA) é responsável por capacitar cirurgiões-dentistas para atenderem pacientes com as mais variadas demandas odontológicas. O bruxismo, inclusive, é tema de um dos próximos cursos oferecidos pelo instituto.

Uma ferramenta que pode te ajudar a reduzir as dores do paciente com bruxismo é a harmonização orofacial. Como já te contamos, a toxina botulínica, usada bastante do tratamento estético, ao ser aplicada nos músculos da mastigação, masseter e temporal, ajuda a aliviar a tensão, diminuindo os efeitos dessa disfunção.

Em 2021, o IOA UniqPro Caxias do Sul dá início a sua primeira Especialização em Harmonização Orofacial, que tem como intuito ensinar as técnicas mais modernas e preparar os profissionais para executarem esses procedimentos estéticos de forma segura. Saiba mais informações sobre este e outros cursos acessando nosso site e não deixe de acompanhar o blog.

Topo