HOME Geral Placas de bruxismo

Placas de bruxismo

Placas-de-bruxismo

O bruxismo é caracterizado pela desordem funcional observada pelo ato de ranger ou apertar os dentes durante o sono. Embora não tenha uma causa específica, a disfunção pode estar ligada à fatores genéticos, estresse, ansiedade, tensão e até mesmo a problemas físicos. Saiba mais sobre os principais sintomas e como tratar esse distúrbio que não tem cura.

Quais são os sintomas do bruxismo?

O paciente acometido por bruxismo pode perceber os sintomas como dor de cabeça, desgaste e amolecimento dos dentes. Além disso, há casos de dores no pescoço, mandíbula e nos músculos da face, decorrente da pressão realizada pelos músculos da mastigação, estalos ao abrir e fechar a boca, assim como, com as alterações do sono. Contudo, dificilmente o paciente irá perceber o distúrbio durante o sono, sendo mais comum o diagnóstico a partir de uma avaliação médica ou em caso de alguém presenciar a crise.

Como tratar o distúrbio?

O incômodo causado pelo bruxismo, tanto estético, quanto funcional, pode ser tratado após a indicação de um especialista. Em muitos casos, o mais adequado é o uso de placas flexíveis de silicone ou as placas rígidas de acrílico. Estas são moldadas de acordo com as características do paciente, impedindo que o movimento dos músculos provoque atritos e desgastes aos dentes.

O que são placas de bruxismo?

As placas de bruxismo, conhecidas como miorrelaxantes, são alternativas efetivas para reduzir os problemas causados pelo distúrbio nos dentes. As placas são confeccionadas a partir das características e necessidades de cada paciente, podendo ser de acrílico ou silicone. Logo, a diferença entre os dois materiais e a indicação estão associadas à resposta do distúrbio a estes dispositivos.

Os tipos de placas de bruxismo

Os tipos de placas de bruxismo podem ser macia ou rígida, de silicone ou acrílico rígido. Contudo, a escolha do material será definida a partir da avaliação médica e os objetivos do paciente, pois as placas macias são indicadas de maneira geral, para o tratamento de dores intensas, já as placas rígidas são utilizadas para o tratamento a longo prazo, contribuindo para reduzir as demais manifestações do distúrbio neuromuscular.

Placa de silicone

A placa de silicone pode ser uma boa alternativa à pacientes que buscam conforto na adaptação e no seu uso. Esta opção de placa para bruxismo costuma ser mais em conta, mas mais sensível, podendo ter um tempo de duração inferior ao da placa de acrílico, por exemplo. De maneira geral, as placas de silicone, do tipo macia, são indicadas para o uso em situações de dores intensas, durante períodos de surtos e não para o tratamento prolongado.

Placa de acrílico

O material mais rígido e resistente da placa de acrílico oferece resultados mais efetivos e duráveis. Contudo, pode ser um material menos confortável que o de silicone, por exemplo. Porém, essas placas impedem que a boca se feche totalmente, estimulando o relaxamento da musculatura da mandíbula, sendo recomendada para o tratamento prolongado, tanto à pacientes que buscam um protocolo preventivo, aos que sofrem com o bruxismo cêntrico e excêntrico.

Bruxismo cêntrico e bruxismo excêntrico

Além de realizar o diagnóstico da disfunção caracterizada como bruxismo, o paciente também deve identificar a classificação do distúrbio. Há dois tipos, o bruxismo cêntrico e o excêntrico. A diferença entre ambos está na intensidade do distúrbio. No primeiro caso, o paciente apenas aperta os dentes, já no segundo, o bruxismo excêntrico é identificado quando há a movimentação da mandíbula, resultando no ranger dos dentes, tanto à noite, quanto de dia.

O uso de placas de bruxismo

Com a definição do tipo de placa, o paciente também deve se atentar aos cuidados durante seu uso. A placa de bruxismo deve ser utilizada todas as noites, independente se o bruxismo é leve ou severo. O não uso contínuo pode afetar na adaptação das mesmas aos dentes, pois é importante lembrar que com as movimentações dos dentes, ocorrem alterações nas suas posições ao longo do tempo, podendo dificultar o encaixe da placa. Além disso, a higienização correta auxilia na duração das placas, que em média, deve ser trocada a cada seis meses. Procure sempre a avaliação e o acompanhamento do seu dentista.

Faça seu tratamento

Preencha o formulário que faremos contato para avaliar se você se enquadra em algum dos nossos cursos.
São informações preliminares e nossa equipe fará contato para mais detalhes.


    Topo